segunda-feira, agosto 4

CUMULO DA IRREVERÊNCIA

O som de hoje vem na sequência do post anterior, quem não se lembra ( os da minha geração, claro)?

4 comentários:

Pjsoueu disse...

Xica:

Xica Xiquinha..lol"

Atão agora anda a divulgari a nossa mas profunda poesia? ..lol

Dizia a minha sogra ( Alentejana dos sete costados)...
"Se não fossem os alentejanos este país era uma tristeza.

Se há povo que sabe rir de si mesmo é o Alentejano....lol...

Um bejo com sabor do LIntejo..:)

Pj

XICA disse...

Pj, por escrever sobre o povo alentejano saber rir de si próprio, quando voltar à barraquinha da Susete há novidades, a noça môça jé prantou música.
Quanto a este post, surge na sequência de um outro que por sua vez surgiu na sequência de um almôço com amigos, onde falávamos de gerações e infantilidades, descaracterização de povos, aculturação, etc.
Constatámos que apesar dos espaços de tempo de diferença ( porque se trata de 1, 2 décadas), serem tão curtos, as diferenças culturais existentes entre as mesmas, são enormes. As mesmas diferenças, continuam apesar de tudo, a verificar-se entre os jovens do campo e os da cidade.

XICA disse...

ERRO imperdoável, NOSSA e não NOÇA, tal é o vício da escrita alentejena, que já meto os péis pelas mãos, quem me há-de ver fazendo informações de serviço, deste calibre.

Pjsoueu disse...

EEHEHEHEH Xica..Deixa lá.mais vale escrever noça do que seguir o rumo do tal de "Acordo ortográfico", senão vejam:

"De fato, este meu ato refere-se à não aceitação deste pato com vista a assassinar a Língua Portuguesa.

Por isso ... por não aceitar este pato ... também não vou aceitar ir a esse almoço para comer um arroz de pato ...

A esta ora está úmido lá fora ... por isso , de fato lá terei hoje de vestir um fato ."

Epá para isso falemos alentejanês quéi munto más benito..oras:)

jinhos pa moça Xica:P