sábado, abril 7

terça-feira, fevereiro 14

A DANÇA

Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo secretamente, entre a sombra e a alma.

Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascender da terra.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo diretamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

Se não assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que a tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.
Pablo Neruda

quarta-feira, janeiro 25

EM CASA

Incontida alegria, partilhada com e por amigos, deixámos para trás o reino do faz de conta e entrámos num mundo de verdade, percorrido a passos lentos , feito de muitas vontades, de muito trabalho, de muitas alegrias, mas também e sobretudo de imaginação, factor determinante e superador de dificuldades.
Aqui neste mundo construido hora a hora, dia a dia, o acessório não faz sentido, tudo fica algures pelo caminho, excepto o coração e os ideias.

segunda-feira, janeiro 23


Sentada naquela enorme pedra carcomida pelo tempo, erigida no morro mais alto do pedaço de chão amado, calmamente, espraia-se o olhar pela imensa terra seca e infértil.  Do chão não brotam mais as doiradas espigas de trigo ondulantes que embalavam sonhos, a sofreguidão dos homens, matou, destruiu, saqueou a terra, dificilmente o orgulho dos homens.

Preciso desta paz,
Sentir este cheiro
Acariciar estes campos...

sexta-feira, janeiro 20

AS PALAVRAS INTERDITAS

Os navios existem e existe o teu rosto
encostado ao rosto dos navios.
Sem nenhum destino flutuam nas cidades,
partem no vento, regressam nos rios.
Na areia branca, onde o tempo começa,
uma criança passa de costas para o mar.
Anoitece. Não há dúvida, anoitece.
É preciso partir, é preciso ficar.
Os hospitais cobrem-se de cinza.
Ondas de sombra quebram nas esquinas.
Amo-te... E entram pela janela
as primeiras luzes das colinas.
As palavras que te envio são interditas
até, meu amor, pelo halo das searas;
se alguma regressasse, nem já reconhecia
o teu nome nas minhas curvas claras.
Dói-me esta água, este ar que se respira,
dói-me esta solidão de pedra escura,
e estas mãos noturnas onde aperto
os meus dias quebrados na cintura.
E a noite cresce apaixonadamente.
Nas suas margens nuas, desoladas,
cada homem tem apenas para dar
um horizonte de cidades bombardeadas.
Eugénio de Andrade

quarta-feira, janeiro 18

Agora que estou comodamente sentada na poltrona com que decorei esta nova casa, queria olhar-te nos olhos e dizer-te,
- Deixa-me em paz, faz favor, pelo menos um minuto por dia... é que a tua imagem, associada a um nome têm o condão de me atasanar o juízo na lucidez do dia e nos sonhos da noite.....
Torna-se um tanto ou nada enjoativo.

Roubas-me a inspiração
Limitas-me a imaginação, impedindo-me de viajar nas asas do sonho...

quarta-feira, outubro 12

O MEU IDOLO

Faria hoje 80 anos....
Percorro as nossa ruas, tentando vê-las com o mesmo olhar de quando as percorria pela tua mão segura e carinhosa carregada de afectos,
acaricio cada cantinho,
recordo todos os dias a cada minuto os ensinamentos preciosos, mantenho a rectidão de carácter que constituia pra ti uma bandeira
e o coração,
esse está cheio de tudo e todos mas vazio de ti, porque cheio de saudades do doce olhar, da partilha de uma vida
e as pérolas (lágrimas) teimam em regar a horta que plantaste.
O castelo que erigiste ao longo da tua vida junto com muitos companheiros e camaradas, não passa de um amontoado de pedras que exige reconstrução urgente e para a qual tento não perder forças.
Amo-te muito 
e sim foste o melhor que me aconteceu na vida
Ter-te como pai

domingo, outubro 2

Sonhos por realizar e um destino por cumprir.....
.
.
.
Vou esperar-te até o sol se pôr.