domingo, janeiro 4

POBREZA


Ontem depois de um almôço tardio de fim de férias, porque sou funcionária pública e como tal, para além de férias, feriados e pontes pouco tempo mais me resta para fazer alguma coisa de útil que não seja questionar o trabalho e o empenho dos outros, em causas como esta ( aqui refiro-me às entidades envolvidas na organização do programa); continuando, estava eu numa de zapping pelos 4 canais a que o monte me permite ter acesso e tropeço com o programa objecto deste post e das muitas questões que me ficaram a martelar o juízo.


"HIP HOP POBREZA STOP não é só um concurso, é uma forma de expressão!
Concordo em absoluto!

Porque há mais de 800 milhões de pobres em todo o mundo - 300 milhões são crianças!
Em Portugal, cerca de 2 milhões de pessoas adormecem, todas as noites, com fome.
Constatação de factos indesmentíveis!

E é por isso que a RTP, o Correio da Manhã, a Antena 3 e a Fundação FILOS, se juntaram para ajudar a acabar com esta epidemia.
Aqui é que a porca torce o rabo, PORQUÊ, pergunto eu???????
COMO, pergunto eu??????????????
Txiiiiiiiiiii, o que eu gostaria de respostas a estas questões!

Lançou-se o repto! O público votou através da internet e seleccionou 24 finalistas nas áreas do RAP e do Graffiti a partir de mais de 100 concorrentes, de todo o país! A 3 de Janeiro vamos conhecer os vencedores.
Aqueles que melhor retratarem a pobreza e a exclusão social.
Porque vivem nessa realidade, a maior parte dos participantes a retratou tão bem!

Para os apurar contamos com um júri: Sónia Araújo pela RTP; Álvaro Costa pela Antena 3; Luís Amorim pelo Correio da Manhã; e, aquele que lançou a primeira pedra desta iniciativa: Padre Maia, presidente da Fundação FILOS.
Escolhemos o Hip Hop porque queremos intervir, mudar e revelar. E é assim que vamos lutar!"

Retirei este texto daqui porque preciso que alguém iluminado em visita a esta modesta "barreca" me esclareça por favor, é que eu sou mesmo muito BURRA.

4 comentários:

Susete Evaristo disse...

Mais uma ignorante que muito gostaria de ser informada.
Será que quando a Natália Correia, disse que "A poesia come-se" dizia aquilo mesmo no sentido fisico do termo e o mesmo acontece com as notas musicais e a pintura ?
Eu nunca experimentei...

Ludo Rex disse...

Divulga: O Colectivo do Cheira-me a Revolução!, condena e apela à mobilização do Povo português contra a ofensiva israelita na Faixa de Gaza.
Expressamos o nosso apoio à concentração convocada por várias organizações para o dia 8 de Janeiro, pelas 18,00 horas, frente à Embaixada de Israel.

Cheira-me a Revolução! - http://revolucionaria.wordpress.com/

Kiss

XICA disse...

Susete, fartei-me de rir com a tua resposta, amiga, temos uma série de individuos a brincarem!
Mas por acaso saberão eles o que é ser pobre, saberão eles o que são dias de inverno gélidos e não ter um aquecedor para ligar, ou quando se tem, não poder ligá-lo porque não há dinheiro para pagar a conta da luz.
Saberão o que é viver numa casa, onde, em dias de chuva é tanta a águya que escorre pelas paredes como a que cai na rua, porque não há dinheiro para pagar mão de obra que remende o telhado, e o desconforto da humidade.
saberão o que é ter filhos de volta a pedir iogurtes e ter apenas pão para lhes dar, com o frigorifico completamente vazio, sem saber quando lhe poderão colocar lá dentro alguma coisa e por isso mesmo em muitos casos, desliga-se pura e simplesmente.
Saberão eles o que é ficar enfiado numa cama à espera que o problema de saude que afecta o fisico, decida ser debelado por ele próprio, porque não há dinheiro para comprar medicamentos que o debelem mais rápidamente. E saberão da tristeza e do desespero dos pais quando, impotentes e doentes , vêem uma filha prostituir-se para os ajudar a superar a doença e a fome.
O roll poderia continuar, mas o nosso país ainda é muito pobre em auto estradas que comportem a descrição exaustiva da pobreza em portugal, vivenciada por muitos e partilhda com os tecnicos que lhe estão próximos.
Mimos amiga.

XICA disse...

Ludo, sou uma piquena muito bem mandada, divulguei pelos meus contactos com uma achega.
Jinhos grandes Tovarich!