terça-feira, junho 30


"A vida, um sopro de tempo em que me perco nas searas, olho as espigas e adormeço com o mar...

Sim, ainda trago o teu corpo nas mãos, em silêncio.

A vida é tão fugaz como as marés, no entanto as aves voam e cantam ao desafio com as cigarras.

Já não há ceifeiras. "
O maltês
Sempre gostei de olhar a seara do alto do monte, lembras-te?