domingo, fevereiro 22

A MINHA INFÂNCIA















Fui criança e brinquei
com brinquedos que fazia
As bonecas eram de trapos
Com elas chorava e ria.

A minha infância foi pobre
e brinquedos não havia
mas era feliz e bem nobre
das bonecas que fazia!
Mas no mundo em que vivia
descrevê-lo eu não sei
mas por tudo o que passei
algo vos vou contar
mesmo com tanto penar
fui criança e brinquei.
Ana Rita Graça

12 comentários:

mfc disse...

Gosto muito deste teu Alentejo.
É lindo... e a forma como escreves também.

XICA disse...

mfc, este meu Alentejo é efectivamente maravilhoso, mas eu sou muito suspeita, porque tenho por ele uma desmedida paixão. As fotos que postei são da inenarrável cidade de Serpa a que estou ligada desde a infância, é a minha terra adoptiva e são ambos, ele e ela, simplesmente lindos.
Fica o convite para te aventurares um dia por estas maravilhosas paragens e já que as águas gélidas da tua terra te impedem de abraçar o mar, experimenta o calor tórrido do Alentejo, naqueles dias de 43, 44º.
Muitos mimos

José Espremido Até Ao Tutano disse...

Serpa é o coração do Alentejo.
Quem quer conhecer a Tradição, a Cultura, o Cante, a Culinária Alentejana, o Ser Alentejano têm de conhecer Serpa.

Susete Evaristo disse...

Obrigada amiga fiquei muito feliz. Sabes a primeira foto é da Rua de Nossa Senhora antes chamada da Misericórdia, à direita situa-se a Rua dos Canos, a rua onde nasci e onde morava a minha avó. Não sei se sabes mas o recanto à esquerda onde hoje decorrem "As noites da nora" foi em tempos o "Cine Teatro Parque Esperança".
Lá assisti a muitos filmes alguns ainda recordo com ternura.
Na casa à direita em de que se vem a janela e a porta era onde se fabricava melhor queijo de Serpa e consequentemente o melhor almeçe. A rouparia era do Sr José Bule, pai do José Bule que ainda hoje alí faz o dito queijo.
As outras 3 fotos são todas da mesma rua mas de ângulos diferentes ou seja a Rua das Cruzes.
Jinhos

Manuel Cataluna disse...

Bom dia,
Quem falou aqui em almeçe?
Já estou a lember os bêços:

Manuel Cataluna
DFA

XICA disse...

Zé, obrigado pela achega e vão dois, não, 3 contando a Susete, não, desculpem, então e o amigo Cataluna, que parece ser também fã da nossa Serpa, ora aqui estamos nós uns Alentejanos muito convictos e apegados às nossas raízes e tradições. Por escrever sobre raízes e tradições aqui fica a lembrança de mais uma feira do queijo em Serpa com inicio já na ´Quinta Feira, espaço onde provavelmente nos cruzaremos.
Montes de Mimos

XICA disse...

Susete e agora mais uma vez, nozes, muito bem minha linda menina, a lição tava muito beim estudada, pelo que tem direito a um prémio, já vais ver qual, até já então.

XICA disse...

E agora por ultimo mas não menos importante o nosso novo amigo cataluna, beim vindo á searinha. tal éi esse nariz mais apuradinho, chêrôle a almeçe a kilómetros de distância. Muitos mimos

Manuel Cataluna disse...

Boa tarde,
Então valá, nascido e criado na Notável Vila de Serpa...
Só para que conste quando havia almeçe, as pessoas eram informadas pelo toque de um Búzio...
Era o meio de comunicação mais rápido, que havia:
Cumprimentos

Manuel Cataluna
DFA

Manuel Cataluna disse...

Boa tarde,
É a a jorna ou de empreitada, a sua searinha...
Aínda por aqui tenho uma foice:
Cumprimentos

Manuel Cataluna
DFA

XICA disse...

Manel, agora, neim à jorna nem d´emprêtada, e fôci tameim nã éi precisa por estas bandas, só se fôr uma xaxola pa tirar as pedras que se foram amoitoando nos campos do alentejo, a juntar óz´olivais que ocuparam estas terras indiscriminadamente e insistem em fazer parte das nossas paisagens.
Um abraço e faça como se tivesse em sua casa, puxe uma cadêra e sente-se, no poialinho da porta há sempre lugar pa maizum-
Muntos mimos

Manuel Cataluna disse...

Boa tarde,
Tem razão o nosso Alentejo, está desprezado...
Onde estão os campos com as searas, os olivais etc.
Apesar da dureza do trabalho do campo, era lindo na primavera ver os campos floridos:
Vou aproveitar o seu poialito para descansar as fadigas...
Cumprimentos

Manuel Cataluna
DFA