domingo, novembro 2

TELAS





Foi por entre o branco das paredes, cheiros e sons, que hoje, de verde, ouro, violeta e laranja se fizeram as telas.
Com pinceis de amor e saudade se traçaram os riscos,
Das mãos que sonham a paz e da ternura, nasceu a obra.
As fotos não reproduzem o feito, mas eu prometo que um dia, vão estar aqui neste espaço, partilhando ao vivo tudo isto.

5 comentários:

*Mar disse...

E a malta tá desejando (com os fejanitos de acompanhamento, pois!). :-)

Agora a sério, amiga...que espectáculo!

Ludo Rex disse...

É para dizer mesmo, Moça Prendada...
A arte é o lugar da liberdade perfeita. Estão magníficas as telas.
Bêjús

XICA disse...

Olhem que assim, eu acredito em vocês e na minha mãe. LOL! LOL!

Ludo Rex disse...

Só podes acreditar, a ver pelos trabalhos...
Bêjús

Fernando Samuel disse...

Que belas telas! - belíssimas.

Um beijo.