sábado, agosto 23

FEIRAS, FESTAS E ROMARIAS

" Munto gosta esta môça de festas"
" Outra festa, tã mas tu nã fazes mais nada, se nã andá em festas"
" Esta môça desfaz tudo em festas"
Eram estas as expressões preferidas do meu pai, para se referir a mim, "a môça das festas", aquela que, e também segundo ele " dava o Cu e 3 tostões por uma festinha"
(E não tinha ele noção que a minha dedicação a ele seria maior que a vontade de ir a festas).
Nestas longas e diversificadas ( as actividades desenvolvidas durante) férias, tinha no cardápio mais esta ( feira) para visitar, mais ainda quando se trata de uma realização na minha cidade de eleição.
Uma feira temática construída a pensar em todos os que eventualmente a visitariam, sem grandes pretensões, os objectivos foram alcançados, embora muita coisa haja para se corrigir e melhorar.

Com direito a bobos, saltimbancos, acrobatas, malabaristas, mercadores, larápios, frades, bruxas e romeiros, assim se iniciou o 1º de 3 dias de uma feira no centro histórico de uma cidade, onde tudo é pretexto para uma festa. As personagens fizeram-nos viajar por tempos remotos em praças, largos e ruelas, num sobe e desce pelas escadinhas de Santa Maria, ouvem-se pregões, compram-se lembranças para familiares e amigos bebe-se, come-se, ri-se e cumprimentam-se os amigos e conhecidos que naquelas paragens vamos encontrando e reencontrando.

Serpa recebe mais uma vez, como só ela sabe fazer, com gaitas de foles, bombos, pouco mais é necessário para lembrar culturas, porque as exposições patentes no recinto também ajudam nessa aprendizagem, outra das vertentes da referida feira, a pedagógica.

Uma feira de encantos, que nos faz sonhar e desejar ser princesa por um dia que fosse, o vestuário dos figurantes, feito de cores sóbrias, tecidos leves e esvoaçantes que o simples movimento dos corpos induz ao regresso a épocas históricas.

A recriação da lenda sobre a origem de Serpinia, teatralizada com fogo de artificio, foi um outro dos momentos maravilhosos da noite fresca de Agosto.


Esta coisa que vêem no retrato, que se propunha ser uma foto a sério e não passa de um objecto desfocado, é um corno por onde eu "bubi" algo parecido com moscatel, mas que nã passava de zurrapa acompanhada de pão com linguiça e malacuecos ( mistura bombástica que me fez passar por uma dor de estômago descomunal), mas que no final da noite, arrancou de um dos visitantes, que asssitia ao gargalhar do meu grupo, um piropo - uma mulher tã bonita, nã tem de certeza nada disso - o nada disso, eram cornos. O senhor deve de ter pensado boa coisa a meu respêto, imaginem que o meu grupo era constituido por mim e mais 3 homens ( o mais que tudo, um amigo dele e o irmão do amigo).

8 comentários:

Susete Evaristo disse...

Eu não estive presente naquela que é também a minha cidade de eleição mas, estive bem representada pela minha filha e pelo meu genro, que lá se deslocaram prepositadamente para assistir a esse evento, e por lá se ficam ainda alguns dias.

*Mar disse...

É mêmo comó tê pai dizia sua calaciadêra, só festas, só festas!

(fazes bem eu tou aqui com uma crise de preguicite aguda para tudo, como eu invejo as pessoas com genica...)

amigona avó e a neta princesa disse...

Adoro feiras!!! Abraço...

sousa disse...

o marmanjo a bulir na atalaia e a menina de festas e rumarias, a cada vidinha hem...
beijos dona xica
(o tal do ps sem rosas)já tive a marcar lugar para sabado ver aquela gente da net em carne e osso"belos moços(as)"

XICA disse...

Susete, por acaso a tua filha e o teu genro fazem parte do grupo de teatro responsável pela organização da feira? É que se fizerem, dás-lhes os parabéns por mim, porque efectivamente os môços, fizeram um bom trabalho, aqui em Serpa; em Óbidos, onde assistiu uma colega minha e diz que também esteve muito gira a feira de lá, também quero ir, logo que possa, assistir a essa em Óbidos; e em Alcochete, onde os meus primos assistiram e vieram encantados com o trabalho lá feito.
Mar, tão que preguicite éi essa, assim a magana ( da vida) passa-te ao lado menher, dêxa ver se eu me posso mexer que te faço apanhar uma estafa valente até entrares no ritimo, és tu e o altemóvel. Despois agarrem-na!
Sousa, tã migo munto cansadinho? Nã sabes tu o que perdestes, dêxa, ganhas outras. Amigo, vou ver se consigo negociar com a môça que trabalha cá em casa, ela ficar com eles nesse fim de semana e eu escapulir-me para a festa, pelo menos no sábado, despois aviso.
Mimos.

Susete Evaristo disse...

Não não fizeram parte mas já estão "afiando o dente" para a próxima edição. Eles pertencem ao Grupo de Teatro Olimpo de Ansião e estão muito habituados a organizar tanto festivais de teatro amador, como cortejos de carros alegóricos como feiras francas mas lá em Ansião. Em Serpa só assistiram mas ficaram tão entusiasmados que já foram pensando em se inscrever para participar o ano que vem.

Susete Evaristo disse...

Miga seé preciso é tamei meto uma cunha à mecinha que trabalha em tua casa é só um sábado e o ano tem 52!
É até lhe mando um béjinho. Vá lá moça colabora atão...

*Mar disse...

E éi mêmo lá ca gente se vai todos encontrára! Olecas!!