domingo, agosto 31

AMIGOS PARA SEMPRE

As palavras que te digo, tu não as entendes ou não queres entender, vives obcecado, tens apenas um objectivo. Incapaz de ver ou sentir seja o que fôr e esquecendo que o amor se pode esmolar, comprar, receber de presente e achar nas ruas, mas não se pode roubar.

13 comentários:

bulgari disse...

Sabes que nem sempre procuramos o alimento certo para a alma. E muitas vezes é preciso viver os amores errados para reconhecer os certos. Sim, já sei! Vais dizer-me que o amor quando acontece, nunca é errado. Depende, o amor só é certo quando não resulta no sofrimento. O segredo, penso eu que, é tomar consciência daquilo que temos para dar. Se é para dar esmolas, o melhor então é estar quietinho e esperar...

XICA disse...

Procurar, Bulgari, nós procuramos sempre o certo, quando nos apaixonamos, aí poderá não ser aquilo que esperávamos, mas será que ao apaixonar-mo-nos por alguém, não fomos nós que criámos demasiadas expectativas em relação ao outro? Porque ao invés de o olharmos e tentarmos ver com os olhos, olhamos com o coração? Linda, quanto à consciência do que temos para dar, nós temos, novamente o problema põe-se,não quando nós damos, mas sim quando exigimos do outro, na mesma medida, e aí é qe a porca torce o rabo - o amor não se exige, porque ele é respeito, admiração, carinho, tudo tem que nascer expontaneamente, não vale forçar barras, nunca funciona.
Bulgari, outra das coisas que não funcionam, e nisso todos nós humanos somos peritos, é comermos primeiro com os olhos, aí só marcha o que é dado ver e o resto?
O resto é o mais importante, por isso é que eu prefiro uma boa feijoada retirada do tacho de aluminio, ao pratinho muito bem decorado e servido no restaurante 5 estrelas.
Beijos amiga, este vai ser certamente um dos nossos temas nó próximo encontro da lebre.

XICA disse...

Só mais uma achega, mais do que ter consciência do que temos para dar, é importante que tenhamos consciência que queremos dar. E junto a isto tudo, não ter medo de dar, há lá melhor coisa que amar, qual medo de sofrer, qual carapuça, isso gere-se depois e sempre caminhando em frente menher.

Susete Evaristo disse...

No Amor, minhas amigas não há nem o certo nem o errado, existe apenas AMOR.
Com o tempo e o arrefecer do sentimento é que nos vamos apercebendo do certo ou errado que eventualmente possa ter ocorrido.
Porém, o AMOR é belo é eterno e é para sempre... enquanto dure!

Pjsoueu disse...

Xica: Cumadri..já tinha saudade destas paisagens...lol

Concordo; o amor não se rouba, conquista-se - cultiva-se - vive-se - sente-se em cada gesto real nos sentimentos revelados, em cada atitude sincera:)

Um beijo alentejano, do Pj

XICA disse...

Susete, pragmática como sempre.
Pj, já tinhamos sentido a sua ausência, eu e a Susete já haviamos comentado, pelo menos, agora sabemos que está tudo bem, então, bem vindo

Susete Evaristo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Susete Evaristo disse...

Pragmática filosoficamente falando (e mesmo na linguistica), sim sou pois não entendo nem concebo o fatalismo, nem sou apologista das tipicas frazes tão portuguesas:
"é a vida" ou "A vida é assim"
Então onde fica o chamado livre arbítrio?
A vida é o que nós queremos que seja e podemos alterar a todo o momento, para bem ou para mal depende das opções.
E aí é que a porca torce o rabo pois temos de acarretar com as consequências das nossas escolhas.
Considero que o mesmo se passa no amor.
Tu Xica ja conheces a minha história, o amor acabou (por morte)mas a vida continua e a perspectiva de encontrar o amor também.
Embora nesta fase da vida e com as minhas ambições, neste momento só entram na minha lista magnatas do petróleo!
Nota: Apaguei o comentário anterior que era basicamente o mesmo mas tinha erros que entendi por bem corrigir.

bulgari disse...

Lebre???!!! Atão bicho já subiu de categoria? Pensava eu que era coelho. Seja qual for o pedigree do bicho, parece-me que esse encontro está agendado para o princípio de Outubro. O J.M. todos anos entra em Setembro numa espécie de periodo sabático, e não bebe. Como quer apanhar uma carraspana à conta dos bichos, só quer fazer a reentré nessa data. Vês algum inconveniente?

bulgari disse...

Miga Susete! Se porventura encontrar o tal magnata, faça um favorzinho a esta pobre alma, pergunte-lhe se ele porventura não tem para lá nas arábias, um primo ou um parente. Tá bem?

Susete Evaristo disse...

Ó Bulgari por quem sois não me vou esquecer, nem pensar, vais ver que as Arábias vão passar a ser nossas!

XICA disse...

Bem, arranji manêra de ficar sem duas amigas, sim porque pelo andar da carruagem marcham-se as duas pás Arábias e com um bocado de sorte ( quéu sô môça chêa dela), inda vô na bagagem, mas pa mulhé a dias e inda as môças dã um jêtinho de m ´ajuntar os trapinhos com o motorista lá da casa do magnata ou do primo do magnata. Belas môças!
Bulgari, quanto ao nosso alimal, tameim nã sô esquisita independentemente do sécho, marcha, por mim não vejo inconveniente absolutamente nenhum, o que eu quero é estar com amigos, e bons.

sousa disse...

neste tema só falta a um poema da espanca, não é meninas atão isso do amor é por catalgo"olhos azuis,cabelo escuro (sim nada de carecas) e depois não têm direito a devolução,depois andam com uma farpela que até não gostam.
essa coisa todos temos já corriculo né mas por causa disso as pessoas têm de beber...
beijos...
é favor largar o crude!