domingo, março 16

POETA

Ser poeta
é ser...
pescador
de estrelas
em constelações
de galáxias perdidas.
É ser ...
moço
fogoso e meigo
de amores sem fim
de noites mil vividas.

Francisco do Ó Pacheco

5 comentários:

Susete Evaristo disse...

Mas que bonito o poema e a foto.
Chegaste tarde da quinta.

xica disse...

Nã Susete, é que até a NET este fim de semana esteve contra mim, nem ela me quis fazer companhia, tal é o meu estado deplorável!

xica disse...

A foto foi mesmo tirada no quintal, o problema foi passá-la da máquina para o post as tentativas nã têm conto.Mas lá consegui e esta manhã tirei mais umas quantas para tu matares saudades do nosso Alentejo.

Mazdak disse...

gostei da escrita do moço, quanto à foto, bom...fico-me por aqui.

XICA disse...

Camarada Mazdak,se vomecê é caçador de talentos,fique jé a saber c´agenda está preenchidissima, com exposições marcadas inclusivamente fora do país!
Se nã gostô, azar, a moça fez o que pôde!