quarta-feira, fevereiro 13

Comeci moços!



Aqui tou eu, vinda do campo directamente prá blogoseiláoquê...coméquisto se diz??
Ora nã sei mas ê cá me hê-de desenrascari que nã sou más parva c'às mais.
Havemos de falari aqui de munta coisa, mas do queim nã sei, logo se vei.

2 comentários:

Susete Evaristo disse...

É uma ternura este rosto de mulher. Cada ruga uma experiência de vida e o olhar sereno e risonho, mas onde se percebe uma vida de sacrificios.
Muito bonito mesmo.

xica disse...

É! a riqueza que encerram estes rostos, só sabe quem viveu muito perto delas, eu fui uma das felizardas que sentiu de perto alguém, cujas semelhanças fisicas com esta ternurinha, eram muitas.
Mas miga como estas coisas me emocionam e é nã quero chorar, vô dar uma volta de 360º e presentear-te com uma marcha bem alegre fêta por alguem da tua terra na altura das marchas populares que fala das nossas avós.

" SERPA, já saiu para a rua
Com arquinhos e balões
A marchar à luz da lua
Na marcha dos foliões

Cantando ao som da harmónica
Revivendo a tradição
Invocamos Santo António
São Pedro e São João

Notável Vila de Serpa
tens um passado de glória
As tuas casas branquinhas
As muralhas tão velhinhas
São folhas da nossa história
joia do nosso ALENTEJO
Vila Branca tão formosa
Orgulho de todos nós
Terra das NOSSAS AVÓS
Berço de gente famosa

Desfilam pela nossa Vila
Parzinhos de namorados
Até ao romper do dia
Quantos segredos guardados

Que cheirinho a alecrim
Vamos pular a fogueira
A noite não vai ter fim
É dançar a noite inteira"
J.M
Também eu tenho uma enorme paixão por Serpa, desde muito pequena.